• José Valdecir Martins

MAÇONARIA E A SUA ALTA MAGIA

Ninguém pode ter saúde física e mental sem limpar o coração das amarguras, sem ter consciência tranquila, sem deixar de sofrer pelos problemas do passado e sem perdoar ignorância alheia.

Valdeci Martins


Deleitando o assunto Maçonaria e Magia com o confrade João Pedro Santana Pereira, membro da Academia Maçônica de Letras de Mato Grosso do Sul, não sobrou nenhuma dúvida, transcrever para o papel este assunto tão relevante e ao mesmo tempo polêmico para as pessoas pouco esclarecidas. Juntamente com o confrade João Pedro Santana Pereira, temos o mesmo pensamento, acreditamos que na maçonaria mística e esotérica, o homem pode se transformar, desde que dela faça parte e permaneçam nas suas fileiras atuantes e ativos.

Pelo tempo de iniciado nos mistérios da maçonaria, entendi e é esclarecedor, que a maçonaria trabalha mais com os aspectos filosóficos, mas que também tem sua magia. Para ter uma base contundente, lendo uns dos livros de Cornélio Agrippa, me surgiu algumas questões.

Sem dúvida, a maçonaria lapida o homem, trabalha as suas arestas, para que sejamos seres humanos melhores, para que trabalhemos com maestria e magia na sociedade em que vivemos. Esta é umas das altas magias da maçonaria, é no meu entender, a principal.

Magia é o nome que damos a vários modos de fazer mudanças em nós mesmos e no mundo, utilizando-se de meios que não podem ser explicados pelas teorias usualmente aceitas e entendimentos da ciência e da sociedade.

Ironicamente, muitas coisas que hoje são consideradas pertencentes ao reino da "magia" - como a telepatia, projeção astral, mediunidade e outros fenômenos psíquicos - eram consideradas "científicas" (como nas "Ciências Psíquicas") há apenas cem anos.

Magia é vivência.... Trabalho e labuta.

Não criamos pedras filosofais de um dia para o outro: demanda tempo, organização e disciplina.

As pérolas são nossas... permanecem eternos tesouros... e as vezes compartilhamos.

Já, a Maçonaria é uma Associação como outra qualquer formada por homens, portanto, seres de possíveis de erros e acertos.

Quando se convida um novo e futuro "participante", por mais que sejam feitas pesquisas ou seja um "amigo de infância" fica impossível saber quem realmente é no seu proceder dentro de casa.

Lembre-se "Há Lobos travestidos de Cordeiros".

À Maçonaria é Perfeita, os ensinamentos são perfeitos, nem sempre os homens seguem.

Rituais Goéticos?

Muitos saem de nosso convívio. Não fantasiemos!

Há casos que só a Justiça da Terra ou a Divina poderá resolver.

Outra paridade entre as Tradições Maçônicas e Zoroastrianas, Zoroastro, assim como os Maçons, também operava em uma fraternidade ou irmandade, denominada “A Irmandade dos Magos” ou “A Assembleia dos Magos”. O termo “Mago” ou “Magi” (plural do termo persa magus, significando tanto "imagem" quanto "[homem] sábio", do verbo cuja raiz é meh, "grande") é um termo usado desde o século IV a.C. para denotar um seguidor de Zoroastro. O termo ainda denominaria um seguidor do que a civilização helenista associava com o Zoroastro, o que, em suma, era a habilidade de ler as estrelas e manipular o destino que elas previam.

Infelizmente, existem seres humanos que veem a magia na maçonaria de uma outra forma. Será que o outro tipo de magia não está em seu interior? Existem pessoas que tem uma visão pejorativa, existem os Wiccanos, existem os ocultistas, que interpretam a magia dentro da sua linha de estudos, pelo qual devemos respeitar. Magia, ela é sem dúvidas um estudo muito amplo.

Temos que nos conscientizar, que a maçonaria não religião, aliás, tenho remissão de pessoas que se dizem seguidores de Jesus e falam tanta coisa que não sabem, que não condiz com a verdade e saem destilando arrogância e ignorância e preconceitos.

Uma outra grande magia que devemos trabalhar, é o Meio-dia e a Meia-noite: O meio-dia é o melhor momento para energizar as nossas ferramentas de trabalhos, (instrumentos do altar, cristais, etc.), visto que o Sol está mais forte e poderoso (lembrando que alguns cristais não podem ir na luz do Sol pois desbotam). Momento perfeito para focar em suas intenções. À meia-noite, dá-se o mesmo fenômeno astronômico, de total neutralidade, pois o Sol, em um outro hemisfério, toma posição, identicamente neutra.

Todo e qualquer seguimento religioso filosófico, trabalha a magia dentro dos quatro elementos naturais, Terra, Fogo, Água e Ar, para descobrirmos o quinto elemento. Na maçonaria, estudamos a magia por dentro, em nosso interior. Devemos descobrir que todos os tipos ou formas de ser dependem da "rede elemental", e basta ativarmos determinados "mecanismos-mistérios" para desmanchar as magias negativas ou ativar as magias positivas. Temos este poder, esta grande magia.

Se bem estudarmos os ensinamentos maçônicos, começamos ainda cedo, nos três graus da Iniciação Maçónica que são os grãos de Aprendiz, Companheiro e Mestre. Os Instrumentos de Trabalho desses três graus, nos dá uma abrangência rica de magia. A Abertura de uma Loja Maçónica, nos dá uma grande reflexão, gerando a grande magia que é a virtude do Silêncio. A franco -maçonaria é virtude e ciência, ética e filosofia, religião e fraternidade; porém, nenhuma destas coisas, por si só, a define. Não há multidão de células que possa fazer um organismo vivo, nem galáxia de estrelas que possa formar um cosmos, nem raios de luz que possam fazer um sol do mesmo modo, nenhum agrupamento de elementos de beleza ou de fraternidade pode fazer a franco-maçonaria; esta cria todas essas coisas, transmite ao ser muitos pontos de perfeição, mas continua a ser um mistério que apesar de poder ser sempre descrito nunca pode ser explicado Arthur Edward Powell.

A magia natural é direta e objetiva. Apesar de tudo o que possa ter ouvido, a magia não é algo sobrenatural, não natural ou mesmo alienígena. Ela está em nossos próprios quintais, em nossas casas; na própria essência de nossos seres. As forças da Natureza dão poderes à magia –e não aos demônios, "Satã" ou anjos caídos. Um dos maiores mistérios da magia é que não há mistérios. Pelo contrário, eles estão constantemente se revelando ao nosso redor. O estudo de um simples botão de rosa, de uma folha de grama ou do sopro do vento por meio das folhas de uma árvore revelará tanto quanto, senão mais, sobre a verdadeira natureza da magia do que uma centena de empoeirados tomos renascentistas.

O objetivo de toda magia, trilhas ocultas e religiões místicas é a perfeição do ser. Embora isto possa não ser obtido em uma vida, é perfeitamente possível que melhoremos a nós mesmos. Este ato singular já faz com que a Terra se torne muito mais saudável.

Se praticar qualquer magia, seja ao desenhar um coração na areia, contemplar um espelho para antever o futuro, seja para atar um nó para auxiliar um amigo ou um irmão com problemas, tenha em mente os mais elevados aspectos de seus trabalhos. Você está melhorando o mundo e ajudando a curá-lo das terríveis mazelas que sofreu por nossas mãos. É isso que torna o praticante da magia natural um verdadeiro Maçom, que o tornará verdadeiramente divino. A maçonaria não é demoníaca e nem pratica o mal. Ela apenas trabalha para o bem comum.


Referências Bibliográficas

Livro Grimório para o aprendiz de feiticeiro – Oberon.

Disponível em: < https://books.google.com.br/books/about/A_Magia_Da_Franco_ma%C3%A7onaria.html?id=GdC6NAEACAAJ&redir_esc=y > Acesso em 04 de set. 2020.

Disponível em < https://mega.nz/folder/f4tRyaza#y5H-lkj0ztGEJt4ZDWIiMw/folder/ypcXyQ5Q > Acesso em 04 de set. de 2020.



Valdeci Martins

Graduado em Administração de Empresas pelo Instituto Campo Grande de Ensino Superior - ICG/UNIP e Graduado e Pós-Graduado em Ciências Políticas e Planejamento Estratégico pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – ADESG/UCDB – Membro da Loja Maçônica Ordem e Progresso nº 25 – GLEMS - Membro da AMLMS Cadeira 32, patrono Mariano Cebalho.