• José Valdecir Martins

MÃOS MÚLTIPLAS – TRABALHOS DA ARTE REAL MAÇÔNICA

Não subjugando, a maior parte das corporações foram influenciadas pelas alterações das condições do mercado da mão de obra e, gradativamente, alteraram suas atividades e finalidades. Neste caso, a instituição maçônica foi influenciada pelas atividades, através dos trabalhos dos pedreiros, trabalhando os instrumentos e a argamassa.

A maçonaria é a arte de construir, para fora, um mundo melhor para si mesmo e para seus semelhantes, e para dentro do próprio ser, um estado de consciência superior, que se pode chamar de espiritualidade. Portanto, um trabalho de mãos duplas entre o material e o espiritual.

É de fundamental importância sabermos que: "Embora não haja documentação que o comprove, deve-se admitir que os Maçons Operativos, os franco-maçons, usavam seus instrumentos de trabalho como símbolos de sua profissão, pois caso contrário não se teria esse simbolismo na Maçonaria Moderna. A existência desse simbolismo é a mais evidente demonstração de que houve, contatos diretos entre os Maçons Modernos e os franco-maçons profissionais, e demorados o suficiente para que essa transmissão se consolidasse”.

Os instrumentos usados pelos Maçons Operativos – francos-maçons eram o esquadro, o compasso e a régua para determinar a forma exata das pedras a serem lavradas, o maço e o cinzel, para dar-lhes a forma adequada, e o nível e o prumo, para assentá-las com perfeição nos lugares previstos na estrutura da obra. “Eram, portanto três diferentes grupos de instrumentos, cada qual representando uma etapa da obra".

Há muitos tempos atrás, hoje ainda existe, mas nem tanto, condena os trabalhos maçônicos. Os mistérios das instituições existem, muitas coisas como mistérios que é regra fixa esconder com extremo cuidado, não somente de estranhos, mas de muitos e muitos membros, também; tais como seus desígnios secretos e últimos, os nomes de seus maiores líderes, e certos segredos e encontros privados, assim como suas decisões, e os caminhos e meios de executá-las. Este é, sem dúvida, o objetivo das múltiplas diferenças entre os membros quanto a direito, cargo e privilégio, das distinções recebidas de ordens e graus, e da severa disciplina que é mantida.

A maçonaria exalta seu trabalho nos quatro cantos deste mundo.

Em todos os lugares e épocas os incautos e desinformados agem de contraditória e sem nenhuma informação, não passa pelo raciocínio e só lhes vem à mente a obscurecidas palavras de ofensa e desacato a tudo o que não compreendem. Compreendamos, faz parte do instinto puramente racional. Quando buscarem iluminação, virá de imediato o respeito.

Deveras compreendido, o povo é pouco esclarecido dos desígnios e das culturas filosóficas, onde muitos pensam que a instituição maçônica é uma seita! Quisera todo homem ter a chance de ser maçom! Corrigindo-a, a maçonaria não é uma seita, muitas pessoas não procuram se aprofundar e saber o real trabalho da maçonaria. Ela Congrega homens livres de bons costumes, não importando sua crença, no entanto é exigido se crer em um ser maior, onde uns chamam por Deus, outros Maomé, Buda, e por aí vai, não discutimos religião ou fé.

Temos a justa compreensão que trabalhamos Junto com a humildade do reconhecimento e da consciência de que trabalhamos em uníssono, que somos todos um, vivemos do todo e para o todo.

Os maçons, eternos aprendizes, dependem dos trabalhos maçônicos para entender e meditar sobre a importância de cada ser humano, do seu trabalho e da participação para o bem comum.

Quando é transformado a “pedra bruta numa pedra polida” sofre uma alquimia, um processo de aperfeiçoamento, uma verdadeira transformação. Esta será o momento simbólico do trabalho que será levado ao “canteiro de obras da construção maçônica” e ali deverá cumprir uma função no “edifício” que a Arte Real se propõe a construir.

Que através dos trabalhos maçônicos, continuemos a transformar as nossas “pedras brutas” de outras formas, na adaptação dos dias atuais imitando a natureza no seu trabalho na formatação das realidades físicas. Com certeza, esse tipo de trabalho irá demonstrar que o homem possuí uma inteligência criadora e que sua consciência irá ser refletida na natureza através das obras de suas mãos.

Sabendo da responsabilidade e dos seguimentos da instituição maçônica possui, seus segredos e privacidades jamais serão revelados aos olhos dos comuns. Portanto há que se respeitar a Sublime Ordem, que muitos até desejam modificar as suas milenar e imutáveis leis maçônicas. A probidade e a honestidade não mudam jamais.


José Valdecir Sousa Martins